Deixa a vida te levar

A minha amiga, Tamires
Só vou precisar uma frase para te lembrar: “Tengo sueño”.

Sempre tenho me perguntado sobre porque é difícil se despedir. A parte menos legal de viajar é mesmo conhecer pessoas divertidas, ou pelo menos pessoas com quem você chega a sintonizar-se, para logo dizer até mais. Ultimamente não escrevo muito sobre este tipo de coisas pessoais, mas acho necessário e merecido. A Tamires merece.

Bom, primeiro vou les contar quem é. A garota não é minha namorada. Não. Nada disso. Ela é estudante de arquitetura, brasileira, paulista e chata por natureza. Gosta de poucas coisas mas é divertida mesmo. Sarcástica, irônica e boa pessoa. Quando conheci ela, fiquei pensando: nossa que garota tão esquisita.

Depois de compartilhar algumas palavras e conversar só um pouquim na minha mente veio esta imagem:

Tamires_daria

Sem dúvida alguma, me senti afortunado de ter conhecido à Daria mesma em carne e osso. Quanta felicidade. Mas beleza, a ideia é mesmo explicar porque escrevo isto. Em pouco tempo com a Tamires achamos coisas em comum: Os dois somos chatos, não gostamos muito da gente, esquecemos coisas com facilidade, só para nós mesmos acontece coisas particulares, nosso senso de humor é bem mais diferente do que das outras pessoas, enfim, nem para que continuar.

Aí ficamos nós conhecendo-nos, contado coisas pessoais, que as vezes você só conta para seus amigos. Para mim, pelo menos viramos amigos, só com três ou quatro semanas de nos conhecer. Foram as semanas nas quais mais risada tive, desde minha viagem ao Brasil há um ano mesmo. Em quanto a gente saia, fazia alguma coisa, tive a sensação de estar com a pessoa mais parecida a mim que eu nunca tinha encontrado.

Dançar sem ligar para os outros, sem saber mesmo como dançar, só movendo o corpo ao ritmo da música e ter alguém que faz o mesmo é como o comercial de MasterCard, não tem preço. Mas vocês ficaram com a dúvida de se me apaixonei, pois vou falar que não, bem pode ser, mas é amor de amigos. Como falamos no meu país de ‘parceros‘. Esse tipo de amigos que sem importar o gênero você ama eles porque são como almas gêmeas, neste caso incompreendidas.

A Tamires ganhou como o Brasil, Minas Gerais e minha familia brasileira, um lugar no meu coração. Eu ri muito com ela, quase até morrer, as vezes até meu abdome doer. Apesar dela ser tão tímida quando a gente estava junta nem parecia, sempre estava conversando, rindo, falando besteira e demais. Ninguém acreditaria, porém aconteceu.

Só para não terminar chorando vou dizer que a Tamires é uma das melhores e divertidas pessoas, como eu, que eu tive conhecido. Ela merece muitas coisas boas para sua vida. Merece amigos que a valorem, porque amizade com ela poucas vezes você encontra e para quem ainda não conhece, pois faz isso por sua vida, de outro jeito: Meu filho, o qué cê ta fazendo com ela?

Para Tamires tudo meu carinho, e saiba que aonde seja que eu estiver sempre vai ter um amigo com que se identificar, falar, rir e até chorar. Espero te ver no SP daqui a pouco. Nem pense que vai se poder esquecer de mim. Agora tenho mais uma razão para voltar no meu Brasil querido. Abraço e boa viagem Tami! Adoro sua cara de não expressão e você. Amiga…